Edição:  
    Atepi

    Atepi e Apla assinam Acordo de Cooperação

    Entidades vão implantar o projeto “Cidades Digitais” no Parque Tecnológico de Piracicaba em uma parceria conjunta.

    A Associação das Empresas de Tecnologia de Piracicaba e Região (Atepi) e o Arranjo Produtivo Local do Álcool (Apla) assinaram um “Acordo de Cooperação” no dia 5 de junho, no Parque Tecnológico de Piracicaba “Engenheiro Agrônomo Bruno Emílio Germek” (PTP).

     

     

     

     

     

     

    O objetivo do acordo é a estruturação e implementação do projeto “Cidades Digitais”, que tem a intenção de buscar benefícios para os cidadãos por meio de ações para a utilização de sistemas modernos de gerenciamento de informação. “O projeto Cidades Digitais vai permitir criar um ambiente organizado e estruturado na cidade voltado à Tecnologia da Informação e Comunicação”, explicou o presidente da Atepi, Vitor Pires Vencovsky.

     

     

    E o que é o projeto “Cidades Digitais”?

     

     

     

     

     

     

     

     

    Cidade Digital é um termo utilizado para descrever uma cidade que executa iniciativas em que o objetivo é diminuir as distâncias entre cidadãos, governos e instituições através das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).

     

     

     

    Uma Cidade Digital tem por princípio a aplicação dessas tecnologias, que buscam benefícios para todos, criando desde ações para a democratização do acesso à internet até a utilização dos sistemas modernos de gerenciamento de informações.

     

     

     

    “Haverá uma integração do ecossistema da cidade envolvendo o público e o privado, com oportunidades de engajamento com todos os setores que envolvem tecnologia”, ressalta Vitor.

     

     

     

    O presidente do Apla, José Coral destaca que a instalação do projeto vem somar com o DNA de inovação do Parque Tecnológico. “Essa integração digital proposta pelo projeto vai contribuir com o surgimento de novos negócios de todos os setores e ainda, é uma oportunidade para empreendedores compartilharem, interagirem com os cidadãos, governo e empresas”, disse.

     

     

     

    Esse ecossistema digital trazido através dessa parceria poderá funcionar com a participação do governo, população, empreendedores, startups, incubadores, desenvolvedores, investidores e aceleradoras.