Edição:  
    Tecnologia

    Novo cabo submarino liga Brasil a Africa

    O cabo que conecta as cidades de Fortaleza e Kribi tem capacidade de 32 Tbps.

    O Brasil passou?a contar?nesta semana com um novo cabo submarino, que liga Fortaleza, no Ceará, à cidade de Kribi, em Camarões. A estrutura de quase 6.000 quilômetros é formada por quatro pares de fibra óptica e tem capacidade de transferência de 32 Tbps. O cabo é o primeiro na história a conectar diretamente dois continentes no hemisfério sul. 

     

     

    O projeto foi preparado pelo consórcio South Atlantic Inter Link, o SAIL, formado pela Huawei Marine Network, que montou e posicionou o cabo, e pelas operadoras China Unicom e Camtel. 

     

     

    A construção do cabo submarino SAIL começou ainda em 2016, e a ideia era conectar duas regiões emergentes, tanta econômica quanto tecnologicamente. Ele deve facilitar e agilizar a ligação e a troca de informações entre os países do BRICS, bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, além de outros países das regiões da África e da Ásia. 

     

    Imagem meramente ilustrativa retirada do Google Imagens

     

     

    Uma segunda estrutura, o South Atlantic Cable System (SACS) ainda deve reforçar essa ligação quando for finalizado, ligando Fortaleza a Sangano, em Angola. A expectativa é de que ele seja um pouco maior do que o SAIL e acabe de ser construído ainda neste ano. 

     

     

    Mas o final o que são e como funcionam esses cabos ?

     

     

    Imagem meramente ilustrativa retirada do Google Imagens


     

    Eles são gigantes, resistentes e indispensáveis para o mundo de hoje. Os cabos submarinos surgiram muito antes das primeiras conexões à internet e até hoje são utilizados para possibilitar a conexão entre pessoas de praticamente qualquer lugar do planeta. 

     

     

    De lá para cá muita coisa mudou e, atualmente, as conexões submarinas atravessam distâncias imensas e aproximam continentes. Para que isso seja possível, a tecnologia dos cabos evoluiu de diversas maneiras, especialmente na proteção que é feita agora por fibra óptica. 

     

     

    Para que seja simples de entender a transmissão de dados, suponha que você enviou uma mensagem para algum amigo através do WhatsApp, essa mensagem então é convertida em dados criptografados que viajam do seu modem para o provedor de internet e, em seguida, para uma rede de conexões. 

     

     

    A velocidade de tráfego dos cabos é extremamente alta.Somente assim é possível que uma mensagem enviada do Brasil chegue ao Japão quase que instantaneamente através de redes sociais e serviços como Facebook, WhatsApp entre outros.

     

     

    Fontes:

     

     

    Colaborador (a) do artigo: Adriana BalaminutTBrWeb